Um blog cheio de mimimi, com um título sem sentido e um template sem muita originalidade.





17 março, 2010

Monte das Oliveiras

Se você soubesse que seu melhor amigo morreria em algumas horas, o que você faria?
É madrugada, você sabe que virão buscá-lo, você sente a angústia que exala de sua alma, você o vê caminhar de um lado para o outro a pedir: Pai, se possível for, passa de mim este cálice.
Como não se inquietaria esse nosso coração ao ver alguém que tanto amamos sentir dores de parto?
Mas, no Monte das Oliveiras, os apóstolos dormiram. Dormiram os mesmos apóstolos que ouviram belas histórias, que aprenderam lições, que cultivaram a amizade. E eu posso ver o momento em que Jesus pediu para que eles o ajudassem. Mas o sono - que não era qualquer sono - era mais forte que a vontade deles.
Jesus deve ter sentido a maior solidão do mundo ali. Sem o Pai. Sem amigos. Sem ninguém. E a morte à espera. E sinto um peso, e uma leveza triste, ao entender o que se passou em seu coração ao ver o sono profundo em que todos haviam mergulhado. O sentimento de abandono. De rejeição.
Hoje eu saio pelas ruas, eu exalo angústia, e tenho o cálice tão doloroso de cada manhã, mas eu só vejo sono ao meu redor. E ninguém ao meu lado. Numa solidão maior do mundo. E abandono e rejeição. O meu Monte das Oliveiras. E mesmo assim, de des-espero em des-espero, como a morte eu também espero. Que alguém não durma. Que alguém me acorde.